quarta-feira, 22 de julho de 2009

A história da Volta a Portugal em Bicicleta

A "Volta" começou em 1927, sendo uma das corridas por etapas mais antigas do mundo. A mais longa foi a de 1958 com 3.361 km e a mais curta foi a de 2004 com apenas 1.507 km. Actualmente a corrida portuguesa ronda normalmente os 1.500 km, divididos por 10 etapas. A etapa mais longa foi em 1999, com 235 Km.
Dos anos 40 aos anos 80, a "Volta" tinha normalmente 3 semanas de prova, tal como o Tour, o Giro e a Vuelta.

A "Volta" foi sempre um dos acontecimentos desportivos mais populares em Portugal. Certamente que será no futuro uma das mais importantes corridas do mundo, dada a sua dureza, crescente qualidade e adesão popular.
Em 1999, na Sra. da Graça, mais de 100.000 pessoas assistiram ao vivo à etapa. Ao longo do seu historial, a prova foi rica em diversos duelos, nenhum se comparando no entanto ao de Nicolau e Trindade, dois grandes ciclistas de enorme talento e fair-play. Espectacular foi também a edição de 1999 com os 3 primeiros corredores separados por apenas 16 segundos !!!

O maior ídolo dos portugueses foi sem dúvida Joaquim Agostinho.
Foi 3 vezes vencedor da Volta, o qual se destacou também no Tour: 3º em 1978 e 1979 (5 etapas) e na Vuelta: 2º em 1974 (3 etapas). Fez a sua carreira essencialmente em França e Espanha. As suas prestações na Volta (apenas 6 vezes) foram no entanto inesquecíveis. Por sua vez, Marco Chagas, detém o recorde de vitórias na Volta, com 4 triunfos.

A corrida portuguesa teve no entanto outros corredores que sem a terem vencido se destacaram, tais como José Azevedo, João Rebelo, Jorge Corvo, Vicente Ridaura, Raul Matias e os sprinters Paulo Pinto, Pedro Silva, João Lourenço, Carlos Santos, Cândido Barbosa, Carlos Marta, José Amaro e Alexandre Ruas, que venceram bastantes etapas. (Alexandre Ruas venceu, inclusive 3 vezes a clássica Porto-Lisboa). Destaque também para o saudoso José Santiago 4 vezes vencedor do Prémio da Montanha.

Houve igualmente outros corredores famosos que participaram na prova portuguesa, a maioria já em fim de carreira, tais como Acácio Da Silva. Na sua carreira venceu 3 etapas do Tour, 5 do Giro, o Campeonato de Zurique, alem de etapas e lugares de honra na Volta à Suíça, Dauphiné-Liberé, Volta à Romandia, Tirreno-Adriático, Volta à Catalunha, Volta ao País Basco, etc. Outros nomes lendários participantes na Volta foram por exemplo Berrendero, Olano, Rumsas, Mauri, Camenzind, Jaskula, Guerini, Tamames, Belli, Hruska, os irmãos Delio, Manolo e Emilio Rodriguez, Houbrechts, Cubino, Bugno, Neil Stephens, Cássio, Bortolami, Theakston, Jekker, Laukka, Berzin, Buenahora, De Las Cuevas, Wradecki, "Chepe" Gonzalez, Hamilton, Langarica, Casero, Escartin, Cuapio, Frigo, etc.

A "Volta" tem ao longo dos tempos revelado alguns dos locais mais paradisíacos de Portugal. Hoje em dia ela é vista por milhões de pessoas de todo o mundo sobretudo através da televisão. A sua importância levou a que concorressem diversas entidades para a organização das futuras edições. Até ao ano 2000, ela havia sido organizada brilhantemente pelo jornal JN (Jornal de Notícias), e superiormente dirigida pelo carismático Serafim Ferreira. No entanto, a partir de 2001 é organizada pela PAD, que tem mostrado igualmente uma boa organização. Registe-se que em 2002, a PAD seria adquirida pela João Lagos Sports, empresa com provas dadas noutras modalidades. O Director actual da prova é o ex-campeão Joaquim Gomes, um dos nomes emblemáticos da modalidade.
Apesar de não ter a divulgação dos três grandes Tours, é igualmente uma prova com grandes tradições, possuindo todas as condições para ser no futuro uma das corridas mais entusiasmantes do mundo. No entanto, nunca lhe faltou encanto, espectacularidade e emoção, sendo sempre uma maravilhosa recordação para os jornalistas estrangeiros que a têm acompanhado. Portugal possui todos os condimentos dum Tour, dum Giro ou duma Vuelta, já que, como eles, também nós somos um povo latino, amantes do ciclismo e dos seus heróis.

A subida à Torre, na Serra da Estrela, tem sido sempre a mais difícil escalada da Volta, tendo ao longo dos tempos gerado grandes momentos de ciclismo. Com os seus 1990 m de altitude, e mais de 20 km de extensão, é sempre um dos grandes momentos da corrida. Os maiores ídolos desta montanha terão sido Joaquim Agostinho, no passado, e Joaquim Gomes, no presente. Espera-se no futuro que a montanha gere novos grandes duelos, aguardando-se com expectativa as prestações dos melhores estrangeiros que correm a Volta, bem como as de Nuno Ribeiro, Sérgio Paulinho e Rui Sousa, 3 das maiores esperanças dos portugueses.

Tal como a Serra da Estrela, a escalada da Sra. da Graça, é um dos momentos mais belos da Volta a Portugal, já que normalmente encerra uma etapa longa e difícil, obrigando ainda os corredores a subirem este grande "muro" (cerca de 8,5 km com inclinações de percentagem elevadíssima). Durante esse trajecto milhares de pessoas acompanham os corredores. A maioria delas dorme de noite na serra, improvisando acampamentos e memoráveis confraternizações. Alguns dos grandes duelos foram travados por Joaquim Gomes-Wladimir Belli-Zenon Jaskula e por Massimiliano Lelli-Joaquim Gomes-Manuel Abreu.
Tal como os grandes Tours, a Volta tem diversas etapas mais propícias para sprinters. Nomes famosos como Jan Svorada, Massimo Strazzer, Jeremy Hunt, Alessio Di Basco, Fabrizio Guidi, Dirk Dekkers, Jan Koerts, Romes Gainetdinov, Cândido Barbosa, Giancarlo Raimondi, Salvatore Commesso e Angel Edo, venceram mais do que uma vez etapas em diferentes edições da Volta. Hoje em dia a prova continua bastante dura mas é mais "europeia".

http://www.tudosobrerodas.pt/

1 comentário:

Rotiv disse...

A 3ª Etapa passa em Manteigas :)
Abraços